26 de dezembro de 2008

Confit

Para o Gourmet que mora dentro de você!

Hoje aprendí um termo da alta gastronomia que pretendo usar o quanto antes e deixar o povão impressionado com minha cultura, classe, finess e balacobaco.

CONFIT. Vamos lá, galera! Todo mundo comigo! A palavra é C-O-N-F-I-T! Inspira, expira, inspira, expira!

Tenho lido muito por aí, visto muito por aí, e até já havia comido por aí, mas sem ligar o nome à pessoa nem me dar conta de que tratava-se de algo tão fino. Não adianta, né, companheiras... quem nasceu para araruta jamais chegará a mingau...

Confit, em tradução literal do francês significa conserva. Mas não me apareça aqui com um vidro de pepinos tentando me convencer tratar-se de um confit que eu vou te olhar com desprezo e certeza de que você é demodé, desolé, plié, elevé e pas-du-burret!

Trata-se de uma forma de preparar alimentos, cozinhando-os muito mega super lentamente e conservando-os em azeite (no caso de legumes e vegetais em geral), sal e gordura animal (Desculpem, mas preciso me manifestar: Irk!) no caso das carnes (normalmente pato, ganso, porco ou peru) e no caso de frutas, castanhas e nozes, em um xarope de açúcar, mel e/ou algum tipo de álcool.

Aprenderam? Não é bacana?

Ah! Tem um detalhe super importante pra você arrasar no vocabulário e se tornar a mulher mais chique e influente da sua rua!

NÃO SE DEVE FALAR: "Vou preparar um confit de abobrinhas".
DEVE-SE, SIM, FALAR: "Vou preparar abobrinhas confit".

E ficamos combinadas assim. Somos finas. Somos chiques. Somos glamourosas. E sabemos o que é confit.


Nenhum comentário: